Imagem capa - Desapego - razões para desapegar por katia  Garrido
Moda

Desapego - razões para desapegar

A gente passa a vida comprando sem parar; chega um momento em que nada mais faz tanto sentido assim, ou seja, as peças ficam ultrapassadas ou a gente enjoa ou simplesmente não há espaço para guardá-las e então nos desfazemos delas.


Aí é que mora o perigo e o problema.

Trabalho como digital influencer, sou apaixonada pelo mundo da moda e, de um tempo para cá comecei a entender melhor a construção do meu guarda-roupa.


Sou paulista e depois de uma longa jornada me mudei para Búzios. 


Há pouco mais de 20 anos residindo na península vi muita transformação acontecer tanto em mim quanto no meu guarda-roupa.


É fato que a gente muda o modo de vestir conforme mudamos nossa vida. Não tenha dúvida disso.


Seja mudando o clima da cidade, seja amadurecendo, seja virando mãe ou simplesmente mudando de profissão.


Estamos em constante mudança e sempre estaremos em novas fases.


Isso é muito bom, a gente acaba renascendo e querendo viver outros ciclos.


Mas é aí também que mora o perigo.


Na minha jornada SP - Búzios acabei deixando para trás muito de mim, muito dos meus figurinos, diria até que deixei parte da Katia paulista lá na minha cidade natal. Isso não é um erro, acontece! Mesmo porque precisamos estabelecer novas metas, novos caminhos e viver novos ares e, quando o meio é diferente tudo fica diferente.


Foi aí que tive que me desfazer de inúmeras peças do meu guarda-roupa. Peças boas, de grife, peças caras.


Naquela época nem passava pela minha cabeça construir um bazar ou simplesmente uma garage sale, eu queria era mudar mesmo e ponto. Deixar tudo isso lá no passado não faria diferença.

A gente vai crescendo, vai entendendo o mundo e principalmente o bolso hahahahaha.


Hoje sinto saudades de muitas coisas boas que simplesmente doei.


Nesse exato momento onde me encontro prestes a fazer uma nova mudança na vida, consigo olhar as coisas de outra forma.


Um guarda-roupa lotado, em função do meu trabalho, que não pode ser simplesmente doado. As peças que tenho foram investimento, tem historias, mas também não posso carrega-las comigo para o próximo destino.


Quando me peguei presa a estes bens materiais percebi que tinha nas minhas mãos o começo de um novo negócio.



O inicio de um ciclo que nem eu mesma sonhava em realizar.


Já tinha comigo uma loja pronta!


Vocês já pararam para pensar em como e quanto cresceram os bazares ao nosso redor.


Me lembro que na época em que morava em SP eu procurava por alguns deles para comprar casacos antigos de couro, achava peças maravilhosas, únicas e em perfeito estado.


Hoje esses desapegos tomaram uma proporção muito maior, primeiro porque vira uma renda extra, segundo porque a natureza agradece e terceiro se você levar a sério pode virar uma empresa. 

Sim, uma empresa de seminovos com cara de novos.


Tudo isso é muito possível se bem planejado.


E é sobre isso que acabei desenvolvendo um e-book para mostrar o caminho que eu construí.


Sei que muitas de nós temos uma série de dúvidas e eu mesma passei por todas elas, agora você poderá ter aceso a todo esse caminho.


Não tenham medo de começar, não tenham vergonha de divulgar.


Aproveitem porque agora é a hora.


Ou melhor, já passou da hora!


Bora reciclar, desapegar... ter mais consciência.


A gente consegue ter um guarda-roupa enxuto e muito funcional, mas isso já é papo para o próximo post.


clique aqui


Desapego Na Medida



beijinhos

sem apegos kkkkk